ARRANJOS ORGANIZACIONAIS PARA O SETOR PÚBLICO: EXPERIÊNCIAS DA ESPANHA, FRANÇA, ESTADOS UNIDOS E REINO UNIDO

A série de publicações intitulada ”Inovação na gestão pública“ resulta da exitosa cooperação técnica entre a Secretaria de Gestão Pública (Segep) e a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid) e nasceu da necessidade de organizar e disseminar o conhecimento produzido na secretaria sobre a temática de gestão pública.

Essa cooperação tem como objetivo a identificação de novos paradigmas e soluções para a gestão pública democrática voltada para resultados e tem possibilitado ao governo brasileiro avançar nos estudos e debates sobre alternativas de organização do aparelho governamental e modelos de avaliação de desempenho e resultados.

O terceiro volume dessa série apresenta uma resenha de quatro estudos realizados, em 2009, pela consultora Suely Komatsu, sobre estruturas organizacionais na Espanha, França, Reino Unido e Estados Unidos da América. Leva em consideração, também, o texto “Experiências Internacionais de Estruturas Organizacionais para o Setor Público”, produzido pelo servidor Ethel Airton Capuano com base nesses estudos e apresentado no IV Congresso Consad de Gestão Pública, ocorrido entre os dias 25 e 27 de maio de 2011.

Apesar do lapso temporal, essas pesquisas permanecem relevantes e atuais, levando-se em consideração que as estruturas organizacionais do setor público constituem recursos importantes para operação dos modelos de gestão governamental nos países democráticos e refletem traços culturais e políticos peculiares a cada povo. Os países pesquisados quanto às estruturas organizacionais de seus governos centrais refletem bastante a denominada “cultura napoleônica”, representada pela Administração Pública na Espanha e na França, e a cultura anglo-saxônica, nos Estados Unidos e no Reino Unido.

Ressalte-se que esta publicação não reflete as diretrizes ou orientações de governo. Trata-se de importante material de pesquisa que traz experiências internacionais recentes e relevantes de elaboração de estruturas para o setor público, que poderão, talvez, inspirar melhorias no modelo de aparelho de Estado no Brasil como resposta aos desafios de uma gestão pública democrática voltada para resultados.
A publicação é composta por quatro capítulos. O Capítulo 1 apresentaa estrutura organizacional da Administração Pública espanhola; o Capítulo 2 apresenta a experiência da França; o Capítulo 3 traz a pesquisa realizada no Reino Unido; e, por fim, o Capítulo 4 consolida a estrutura governamental da
Administração Pública norte-americana.

Data de publicação: 
domingo, 1. Janeiro 2012